Search
  • Erika Pallottino

Sobre pais enlutados


O luto pela morte de um filho

A morte de um filho pode ser a experiência mais difícil que uma pessoa pode enfrentar. Os pais começam a cuidar do bebê desde a gravidez, assim como imaginam como ele vai ser desde essa etapa. Cuidar bem do filho é, muitas vezes, a coisa mais importante da vida dos pais. A morte de uma criança desperta sentimentos de fracasso desse cuidado. E pode comprometer o sentimento de esperança no futuro. Assim como fazer os pais se sentirem como se tivessem perdido uma parte deles mesmos.

Tristeza, raiva, culpa e desespero invadem a vida dos pais quando um filho morre. A vida transforma-se e pode parecer confusa e vazia. Responder uma simples pergunta como “Quantos filhos você tem?” torna-se, de repente, um grande problema. Pais enlutados, normalmente, lutam contra difíceis questionamentos, como “Por que isso aconteceu?”, “Por que eu não impedi isso?” ou, algumas vezes, “Por que meu filho foi tão imprudente e negligente?”.

Depois uma perda dolorosa, um casal enlutado pode se sentir incapaz de se ajudar mutuamente. E pode se deparar com as diferentes formas com que cada um sofre o seu luto. Enquanto um pode demorar a falar sobre seu filho ou sobre seus sentimentos, o outro pode, simplesmente, evitar sempre tais assuntos. Essas diferentes e conflituosas formas de lidar com a morte do filho podem evitar com que esse casal dê o suporte que cada um precisa receber do outro, podendo causar estresse na relação e aumentar, ainda mais, a dor da perda.

Os pais podem sofrer pelas memórias da criança ou pelas memórias dos momentos que gostariam de ter vivido com esse filho. Eles podem imaginar se é certo sentir qualquer alegria depois da morte do filho, se é justo eles conseguirem ter uma vida feliz novamente, já que seu filho foi privado disso. Aqueles que não conseguem imaginar o sentido da vida ou achar um jeito de restaurar seus propósitos de vida, alegria e satisfação podem estar sofrendo um luto complicado.

Fonte: www.complicatedgrief.org

Columbia University

Tradução livre: Clarice Rangel (estagiária de psicologia do Instituto Entrelaços)


228 views0 comments

Recent Posts

See All